Lipoaspiração 2018-05-23T20:59:41+00:00

Lipoaspiração

Campeã das cirurgias plásticas e considerada o procedimento mais feito pelas brasileiras, a lipoaspiração conquista cada vez mais adeptas. Esse procedimento é responsável por remodelar áreas específicas do corpo, tais como coxas, braços, pescoço, cintura, costas, etc, removendo o excesso de depósitos de gordura e melhorando os contornos do corpo e a suas proporções.

Indicação

A lipoaspiração é indicada quando:

  • Pacientes apresentam excessos de gordura em determinadas regiões do corpo
  • Pacientes têm contornos desproporcionais devido a depósitos de gordura localizada

A Cirurgia

A duração da cirurgia varia de 1 à 3 horas, dependendo da região a ser tratada e o volume a ser lipoaspirado. A anestesia utilizada para este procedimento é a peridural com sedação venosa. A maioria dos pacientes recebe alta no mesmo dia.

Como o próprio nome sugere, o processo consiste na aspiração da gordura do corpo, através da incisão de cânulas milimétricas, eliminando-a do local desejado. A quantidade de gordura a ser aspirada, varia de acordo com o volume de gordura localizada de cada paciente e de seus objetivos. Por questões de segurança, a quantidade de gordura retirada durante a cirurgia não deve ultrapassar 7% do peso do paciente. Além disso, a soma dos locais a serem operados não pode passar de 40% da área corporal.

Existem vários métodos para a realização do procedimento de lipoaspiração:

• Lipoaspiração convencional: é realizado em pacientes que apresentam excessos de gordura em determinadas regiões corporais. O processo se dá através da incisão de uma cânula aspiradora, que retira a gordura do corpo. A recuperação é dolorida e apresenta hematomas.

• Hidrolipo: é realizado em pacientes que estão dentro do seu peso ideal, porém apresentam depósitos de gorduras localizadas. Antes da incisão da cânula aspiradora, é injetada uma combinação de água e lipolíticos que permite uma melhor dissolução do tecido adiposo. A gordura se dissolve em partículas e facilita o processo de aspiração. A recuperação é menos dolorosa, mas ainda existe a presença de hematomas.

• Vibrolipo: também é realizado em pacientes que apresentam gordura corporal localizada. Semelhante à Hidrolipo, a Vibrolipo é considerada menos invasiva, pois o médico não precisa usar da força para introduzir as cânulas, mas sim direcioná-las de forma que provoca menos trauma nos tecidos. Primeiramente é injetado soro fisiológico, adrenalina e anestésico local no tecido adiposo. Feito isso, são inseridas cânulas finas (tubos utilizados para a retirada de gordura) que vibram. Os tubos são submetidos a movimentos vibratórios por meio de outros aparelhos acoplados nas cânulas. A recuperação tem menos sequelas, como marcas roxas e a perda de sangue durante a cirurgia.

• Lipolaser: considerado o que há de mais moderno no mercado, a Lipolaser é indicada para pacientes com gordura localizada e também com flacidez de pele. Uma cânula a laser é introduzida gerando calor e dissolvendo a gordura, que é transformada em um estado liquefeito, e somente então aspirada. O calor ainda estimula a produção de colágeno diminuindo a flacidez de pele da área. Por essa razão sua recuperação é bem mais rápida do que os outros tipos de lipoaspiração e apresenta menor dor, inchaço e hematoma.

• Lipoenxertia: é o preenchimento realizado com gordura do próprio corpo, devolvendo o volume às regiões atrofiadas e rejuvenescendo a pele, pois junto com o enxerto de pele vêm células-tronco que darão origem às novas células da pele.

• Lipoescutura: é a combinação das técnicas de Lipoaspiração e Lipoenxertia. A Lipoenxertia usa a gordura em excesso removida de alguma região do corpo através da lipoaspiração feita na própria paciente, para “esculpir” o corpo, de modo a preencher, aumentar e modelar as estruturas flácidas, depressões ou áreas com pouco tecido adiposo.

Pós-Cirúrgico

A recuperação varia em média de 5 a 15 dias, dependendo do método utilizado. A cinta modeladora precisa ter o tamanho ideal, para que faça o efeito de comprimir sem impedir a circulação sanguínea. A malha modeladora tem a finalidade de juntar tecidos que foram traumatizados durante a cirurgia, inibindo o sangramento e aparecimento de equimoses (manchas roxas). Além da cinta, também é indicado o uso das placas de contenção, que exercem a função de comprimir o espaço intercelular evitando o aparecimento das dobras de pele.

A indicação do uso da cinta pós-cirúrgica é de 30 a 40 dias ininterruptos. Também é recomendado, no mínimo, 20 sessões de drenagens linfáticas, para auxiliar no processo de reparação tecidual, prevenindo a formação de fibroses e aderências, e favorecendo a reconstrução dos capilares linfáticos lesionados. As drenagens ajudam também a diminuir o inchaço no pós-operatório.